16 setembro 2008

urgente ou importante?


Aquele sms tinha um som urgente.
Ele demorou talvez um minuto a acreditar que a Ana vinha mesmo a caminho. Acendeu o cigarro e, ainda hesitante, saiu. Foi fumar para o passeio com os olhos postos no início da rua, à espera de a ver a chegar, conduzindo apressadamente - ela conduzia sempre apressadamente.
Finalmente, ela apareceu no topo da rua. Ele nem queria acreditar...
Desde aquele dia em que pensou tê-la perdido para sempre tinham passado algumas semanas, tempo suficiente para que ele tivesse tido a oportunidade de sublimar aquela sensação de derrota que o acompanhou durante dias. Desde aquele dia, tinham passado semanas também de esperança, ele nunca ira acreditar que alguém pudesse deitar fora toda aquela emoção, aqueles sentimentos, explícitos e implícitos.
- Não acredito que estejas aqui: que foi que te passou pela cabeça?
- Entra!
O carro não tinha andado mais do que 100m e o telefone dela tocava, arrancando-os à força daquele momento de sonho.
- Eu saio, fala à vontade...
...
De volta à realidade...


Mas nunca mais nada voltaria a ser como até então.

1 comentário:

My Space disse...

Crazy enough for each other.
Holding on.. until the storm pass.
Because it will pass. Because the sun will born again.. everyday, for the rest of our lives.
Porque eu vou sempre gostar de ti.