10 setembro 2008

fitness

Ontem ao final da tarde, por ter chegado demasiado cedo a um encontro, passei uma meia hora junto ao Tejo, uns 500 metros a jusante da ponte.
Durante esse período de tempo, contei 183 atletas, que andavam, corriam ou pedalavam ao longo da margem do rio (na verdade, não contei, não tive paciência, mas eram imensos). Dos mais diversos escalões etários, usando as mais diversas indumentárias, homens, mulheres e... bem... pessoas de todos os tipos, julgo que com o fito de melhorar a condição física - e, na verdade, uma grande maioria precisa mesmo, a julgar pelo aspecto.
Não entendo esta necessidade: esforçam-se, cansam-se, suam, fazem figuras ridículas, pelos gestos que descrevem com os braços enquanto "aquecem" antes da corrida, ou pelo modo como fazem flexões nos bancos do jardim, vestem-se com peças de roupa que eu não usaria para lavar o carro... e tratam de comprometer o futuro das gerações vindouras?
Será que as pessoas não têm a consciência de que o exercício físico contribui para a não ocorrência de doenças e para um eventual aumento da esperança de vida? Não têm a consciência de que a população está a envelhecer e que caminhamos para a falência do sistema de segurança social? E, tendo esse conhecimento, continuam a correr, andar, pedalar e a contribuir para que os nossos filhos tenham que nos sustentar até aos 108 anos, para que o estado dilate a idade de reforma para conseguir poupar nas pensões?
Não contem comigo: a minha consciência social impede-me de tais atitudes.

4 comentários:

ZeM disse...

o meu aplauso à tua consciência social...

Thunderlady disse...

Ahahah.. não creio que sejam todos tão conscienciosos como tu... ahahah

My Space disse...

Grande lata!!! E para onde foram as intenções de há um mês? Acho que me lembro de uma certa promessa acerca de uma certa saliência...

Tangerina disse...

São uns egoístas, lá está.
Fazes bem - tu, sim, é que a sabes toda - repimpado, a olhar para esses andróides que nos vão levar a Segurança Social à falência, Bah....