11 junho 2014

Pois...
Parece que sim.

09 junho 2014

Nos últimos 4 anos rejuvenesci 10 e envelheci 14. Contas feitas, tudo normal, nada de surpresas, a matemática bate certo e nada a reclamar, não fora o processo de envelhecimento ter acontecido apenas nuns 4 dias.

21 março 2013

primitivo

Não sei escolher as mulheres da minha vida.
Deste a primeira.
Deve haver quem consiga analisar o factor que está na génese desta minha deficiente capacidade social, que tem vindo a provocar frustração, dor, lágrimas e outras manifestações que mantenho comigo: até hoje, eu não consegui. E deixou de me caber nos dedos a quantidade de desaires. Exceptuando a que ainda não, todas as escolhas erraram, todas as geografias falharam, todas idades, tezes e tonalidades – mesmo quando as escolhas não o foram.
E nem mesmo a jusante consigo ser ter sucesso na manutenção de uma relação tranquila e estável com quem deveria ser, se nunca simples, pelo menos mais fácil.
Sei que não sei.
Desde a primeira.
Mas não me conformo com esta espécie de sina e continuo a tentar, a querer saber. Para alcançar este saber, terei antes que chegar ao outro, ao saber de onde me vem esta inaptidão que não me permite acertar.
Desde a primeira.
Ou será por causa da primeira?
Mas essa, quem escolheu não fui eu.

19 março 2013


Aquele olhar duro e severo intimidava-me.
Aquele olhar, que talvez passados todos estes anos eu entenda sem efectivamente compreender, manteve-me distante, receoso de falar, de pensar, de decidir. Até de ser…
Já num tempo para cá do tempo eu que eu deixara de crescer, aquele olhar amoleceu e deixou que a distância encurtasse. Consegui então olhar para aquele olhar de frente e de modo diferente, mais próximo e condescendente, mais respeitoso que autoritário, mais orgulhoso que exigente. Ainda que sempre severo.
Tenho saudades daquele olhar duro e severo; mas não menos daquele olhar por fim carinhoso, quase infantil e assustado com que acabou por se retirar.

18 dezembro 2012

O teu é teu, o meu é nosso.

12 novembro 2012

Acta, res, facta... non verba.
Alibi, age quod agis; eris quod sum.

08 novembro 2012

wer ich bin

Não importa a distância que nos separa.
Eu sou, eu estou.

05 novembro 2012

lessons?

By the time I recognize the moment the moment will be gone.

17 outubro 2012

para sempre

São poucas, mas há pessoas que são para sempre, no matter what.
No meu caso, são pelo menos duas.
Hoje, falei com uma delas, já não lhe ouvia a voz nem via a cara há semanas.
Sem que no momento me desse para pensar nestas coisas, sei que senti algo especial, particular, que muito dificilmente se descreve e mais dificilmente ainda se explica. Por isso, nem vale a pena tentar explicar, basta sentir e guardar cá dentro o momento e essa realidade, com a certeza de que vai ser para sempre, vai ser sempre no matter what.
Sentido e guardado o momento de hoje, não consegui deixar de o relacionar e comparar com outros momentos e situções bem diferentes, protagonizados por mim e por quem está na minha posição. E, mais uma vez, não consigo entender como é que se sente, como é que se permite, como é que se consegue. E como é que não se sente.
Talvez daquele lado também haja quem seja para sempre, no matter what.
Naquele caso, devem ser no máximo duas. E talvez não haja mais espaço para amar.

27 agosto 2012

i hope this is you

You know I knew it was you.
 
 
With every day, and from both sides of my intelligence, the moral and the intellectual, I thus drew steadily nearer to the truth, by whose partial discovery I have been doomed to such a dreadful shipwreck: that man is not truly one, but truly two. (*)

This could not be me…
 
But after the storm came the calm and with the still came again the will.
 
I know this is you. And I hope this is now me.

 
 
 
(*) R.L Stevenson
 

03 maio 2012

colourblind


Faz-se negro o tempo aqui pelo verde, que demora sem passar.
Faz-se negro lá para a frente, nas nuvens que o vento vai trazendo devagar, não deixando ver se é tempestade, se bonança sem cor.
Faz-se negro, sem se saber o que se faz, como se faz, se é para fazer, deixar de fazer.
Faz-se negro, até que um azul salvador chegue ao verde e torne claro qual o tom que resta, de que tom este verde vai ficar tingido, se irei alguma vez ver o Negro que ainda não vi, num azul definitivo.
Se alguma vez alguma cor.

12 dezembro 2011

the immortals

No man can be too careful in the choice of his enemies.



Oscar Wilde