25 maio 2007

território solitário


- E agora? Estamos aqui há séculos, andamos para trás e para a frente, não saímos do mesmo sítio.
- É verdade. Isto estagnou.
- Estagnou?
- Desculpa, expressão desajustada: bloqueámos parece mais correcto. Não conseguimos sair daqui: desta vez, por mais que eu queira, por mais que fales comigo e me vás dando as pistas que costumo usar para te orientar, não posso, não consigo encontrar o caminho. Acho que me perdi…
-Tu nunca te perdes: tu és tão sereno, como podes ter-te perdido?
- Não te consigo mentir, pois não?
- :-) não, não consegues.
- Eu talvez saiba o caminho – ou antes, eu sei dois caminhos. E nem preciso de tos apontar, sabes tão bem quanto eu que caminhos são esses.
- Sei…
- Pois sabes. Até sabes qual deles mais te atrai.
- Sei…
- Sabes por que é que é esse que mais te atrai?
- …
- Sabes?
- Vais dizer-me?
- Porque só vês a primeira parte do caminho, não sabes o que está para além. No outro, o que menos te atrai, conheces esta primeira parte e conheces o que está para além – conheces a estrada quase toda, as curvas, as subidas e descidas, até conheces de cor os buracos, já sabes desviar-te deles com mestria.
- Tens razão.
- Não me serve de nada, pois não? Nem a ti…
- O quê?
- Ter razão: estou para aqui a falar, já não adianta nada falar, ficas na mesma.
- Não, fala, gosto de te ouvir.
- Mas eu vou calar-me. Acho que este é o momento em que tens que andar por ti, sem ajuda. Caso eu me ponha para aqui a falar mais, acabo por ser eu a decidir por ti e isso não faz sentido algum, não tens que percorrer o caminho que eu julgo ser o melhor para ti, mas o que tu escolheres para ti. Porque é teu, não é meu.

- E sim, agora calo-me.

5 comentários:

Anónino disse...

Não sei se doi mais o nó na garganta a ler isto se ouvir o silêncio.

LAL

m.(que isto hoje é a sério) disse...

Pois, estrada com buracos é de evitar...embora, por alguns, se possa reinventar realidades que os faça mais atraente (os buracos, os buracos...)

Depende do carro (life), depende da vontade de ficar (road) e depende do que nos espera (still).

Parece-me monotonia...além de tudo, monotonia, mas aí encontrará em qualquer estrada que pise mais do que uma vez...acho eu...

Não sei se serve ou não. O que serve realmente é o gosto pela condução, seja ela em que estrada for....farei algum sentido?

Thunderlady disse...

Já nos deste toda a trilogia?

Já viajámos em território desconhecido, depois proibido e agora solitário. Tem continuação?

Cai de Costas disse...

Tem, claro que tem.
Não posso prometer datas nem consigo desvendar o final da história, mas terá desenvolvimentos, sim.
Prometido.

ThunderDrum disse...

Obrigado.