19 agosto 2008

in someone else's shoes

Só para simplificar e clarifcar uma questão.


Imaginemos...


Vamos um belo dia pela rua e vemos, ou imaginamos ver, o tal par, o da medida certa nuns pés estranhos. Admitamos que não lhes ficam bem, talvez tenham um ar desajeitado a andar neles, talvez até possamos dizer que aquela forma de andar falha totalmente no maximizar do potencial do calçado, que insiste em arrastar os calcanhares e desgasta aqueles tacões, naquele passo indolente e desinteressado.

E agora, qual o próximo passo...?



(os conselhos que o Tejo dá...)

6 comentários:

pensamentosametro disse...

Admitamos que não falas de sapatos, talvez um dia quando parares de procurar o par certo, ele te apareça mesmo à frente, quem sabe junto ao Tejo.

Bjos


Tita

Patrícia disse...

boa pergunta. Quando, e se, um dia, souber a resposta, aviso.

Anónimo disse...

Os sapatos encontram-se noutros pés que não os teus...
Não tentes usar os sapatos dos outros...
Vai à sapataria procurar os teus 42,1!
ACAT

Anna disse...

Toma cuidado.. nem sempre o que parece. é.. e os lindos "sapatos" podem ter as solas gastas..
But, if you tkink they are the one...,go for it! (não que os conselhos tenham algum valor.. seriam vendidos, se assim fosse!)

Anónimo disse...

Há uns tempos vi uns sapatos que me encantaram. Não os experimentei sequer, pois sabia nunca os poder comprar. Passava com frequência pela montra, ficava a admirá-los e a imaginar como me ficariam pois pareciam exactamente o meu número. Até que um dia, ao olhar com mais atenção, percebi que já não os queria comprar pois muito mais importante que a beleza ou o número (certo) é a forma e o conforto que nos proporcionam a caminhar... aqueles não eram adequados.

Continuo a passar pela montra e a admirá-los mas deixaram de ser um sonho por realizar.

Anónimo disse...

Por conforto na caminhada entenda-se o prazer na viagem, obviamente... daquelas em que até nos sentimos com "asas nos pés"! :-)