11 dezembro 2008

nehmen Sie das Mädchen

Fazemos, acontecemos. Escolhemos. As consequências são nossas.
Tememos o julgamento alheio, de terceiros mais ou menos próximos, das consequências que possam ter em nós; da ansiedade que provocam, do desconforto que geram; da culpa que induzem. Porque tememos que nos acusem, dizendo "o que foi me fizeste? como queres que eu consiga viver com isso?", quando a pergunta, a existir, deveria ser "o que foi que te fizeste? como te posso ajudar a viver com isso?".
Talvez por isso seja confortável a companhia de quem não julga, a tranquilidade proporcionada pelo silêncio; pela tolerância ao silêncio. Ou, a existir, a pergunta certa. Talvez por isso não tememos quem nos tolera o que "nos fazemos", o que "nos acontecemos"; o que somos.
Porque o único julgamento que verdadeiramente conta é aquele que nos fazemos. As consequências são só nossas.

2 comentários:

My Space disse...

palavras sábias..

Tangerina disse...

Gosto-te:-)
Pelo que te fazes, pelo que te sentes, pelo que és.


Bj Citrus.