27 dezembro 2007

cartão de natal

Passo uma parte importante do ano sem passar cartão a quem merece.
Comecei este ano o exercício de obrigar-me a recordar as pessoas realmente importantes na minha vida, pegando no telefone e enviando uma mensagem de viva voz. Passei umas três horas da tarde de 24 a fazer telefonemas, percorrendo a lista telefónica e fazendo talvez uma centena de chamadas. A conta deve ser engraçada...
A conta?
Claro que ficaram de fora todos aqueles que se anteciparam e me ligaram antes, outros a quem perdi o rasto, aqueles a quem não posso ligar, alguns que não me querem atender.
Aqueles que já não podem atender.
A conta? É a que devia ter sido diluída ao longo do ano.

7 comentários:

Anónimo disse...

Tive o privilégio de receber esse telefonema. Fiquei contente. O sentimento é recíproco! Que se lixe a conta. O que interessa são os bons e verdadeiraos amigos. Esses ficam perenes e sólidos no tempo. E é isso que realmente tem valor na vida. Um bom ano é o que te desejo.
z.

Cai de Costas disse...

Se conduzir, não beba.
Se beber, não comente.

Mim disse...

Se ficaste em paz contigo a conta está saldada :)

Espero que o teu Natal tenha sido bom, verdadeiramente bom.

Cai de Costas disse...

Estas contas nunca estão saldadas.

Mim disse...

Não sejas tão duro contigo. As mudanças não se dão de um dia para o outro. Dá-te uma oportunidade.

Carvalhas disse...

E eu caraças!!!!???? Não recebi telefonema!!! É pá... olha que eu faço com que pagues a conta!!!

Cai de Costas disse...

Não queiras fazer contas comigo, Carvalhas, não tens carteira para isso.